Exit Parallel Mode
 

Apocalipse 6

6
A abertura dos primeiros seis selos
1 Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizer com voz como de trovão: Vem!
2 # Capítulo 6 2 Sl 45.4,5; Hc 3.8,9; Zc 1.8 Olhei e vi um cavalo branco, e seu cavaleiro segurava um arco. Foi-lhe dada uma coroa, e ele saiu como vencedor, decidido a vencer.
3 # 3 Ap 4.7 Quando ele abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizer: Vem!
4 # 4 Zc 1.8; Mt 10.34; 24.6,7 Então saiu outro cavalo, um cavalo vermelho. Ao seu cavaleiro foi dado o poder de tirar a paz da terra, de modo que os homens matassem uns aos outros. Foi-lhe entregue uma grande espada.
5 # 5 Zc 6.2-6 Quando ele abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: Vem! Olhei e vi um cavalo preto, e seu cavaleiro tinha uma balança na mão.
6Então ouvi uma voz entre os quatro seres viventes que dizia: Uma medida de trigo por um denário, três medidas de cevada por um denário, e não danifiques o azeite e o vinho.
7 Quando ele abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizer: Vem!
8 # 8 Lv 26.22; Dt 32.24; Ez 5.12,17 Vi então um cavalo amarelo, e seu cavaleiro chamava-se Morte e o inferno o acompanhava. Foi-lhe dada autoridade sobre a quarta parte da terra, para matar à espada, pela fome, pela praga e pelos animais selvagens da terra.
9 # 9 2Tm 1.8 Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram.
10 # 10 Sl 94.3; Zc 1.12; Lc 18.7,8 Eles clamaram em alta voz, dizendo: Ó Soberano, santo e verdadeiro, até quando aguardarás para julgar os que habitam sobre a terra e vingar o nosso sangue?
11 # 11 Gn 15.16; Hb 11.40 Cada um deles recebeu túnicas brancas e lhes foi falado que repousassem ainda por um pouco mais de tempo, até que se completasse o número de seus conservos e seus irmãos que haveriam de ser mortos, assim como eles também haviam sido.
12 # 12 Is 13.10; 50.3; Jl 2.31; Mt 24.29; Hb 12.26 Vi quando ele abriu o sexto selo, e houve um grande terremoto. O sol escureceu como saco de cilício, e a lua toda tornou-se como sangue;
13 # 13 Is 34.4 e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como figos verdes derrubados da figueira por um vento forte.
14 # 14 Is 54.10; Jr 4.24; Na 1.5 O céu recolheu-se como um rolo e todos os montes e ilhas foram removidos de seus lugares.
15 # 15 Is 2.10,19,21 Os reis da terra, os nobres, os chefes militares, os ricos, os poderosos, todo escravo e todo homem livre esconderam-se nas cavernas e nas rochas das montanhas.
16 # 16 Os 10.8; Lc 23.30 E diziam aos montes e rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face do que está assentado no trono e da ira do Cordeiro;
17 # 17 Jr 30.7; Jl 2.11,31; Lc 21.36 porque chegou o grande dia da ira deles! Quem poderá subsistir?

Apocalipse 6

6
1Enquanto eu observava, o Cordeiro quebrou o primeiro dos sete selos. Então um dos quatro seres viventes, com uma voz que soava como o trovão, disse: “Venha!” 2Olhei, e ali na minha frente estava um cavalo branco. Aquele que o montava levava um arco, e puseram-lhe uma coroa na cabeça; ele saiu cavalgando para vencer e conquistar.
3Então o Cordeiro quebrou o segundo selo. E ouvi o segundo ser vivente dizer: “Venha!”
4Desta vez surgiu um cavalo vermelho. Ao que o montava foi dada uma espada comprida e a autoridade de tirar a paz da terra e fazer com que os homens se matassem uns aos outros.
5Quando o Cordeiro quebrou o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: “Venha!” e vi um cavalo negro, com aquele que o montava segurando uma balança na mão. 6E uma voz que vinha dentre os quatro seres viventes disse: “Só um quilo de trigo ou três quilos de cevada por um denário, mas não há azeite de oliva nem vinho”.
7E quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi o quarto ser vivente dizer: “Venha!” 8Então vi um cavalo amarelo, e o nome daquele que o montava era Morte. E seguia atrás dele outro cavalo, e o nome do que montava neste era Inferno.#6.8 Hades. Esta palavra pode ser traduzida por inferno, sepulcro, morte ou profundezas. Eles receberam domínio sobre a quarta parte da terra, para matar pela guerra, pela fome, pela doença e por intermédio dos animais selvagens da terra.
9E quando ele quebrou o quinto selo, vi um altar e, debaixo dele, todas as almas dos que tinham sido mortos como mártires por pregarem a palavra de Deus e por serem fiéis em seu testemunho. 10Eles clamavam em voz alta ao Senhor e diziam: “Ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, quanto tempo ainda vai passar antes que o Senhor julgue os povos da terra? Quando vingará o nosso sangue?” 11E foi entregue um manto branco a cada um deles, e lhes disseram que descansassem mais um pouco até que os outros irmãos deles, irmãos em Jesus, sofressem o martírio na terra e se unissem a eles.
12Eu estava contemplando quando ele quebrou o sexto selo, e houve um grande terremoto; o sol ficou escuro como pano negro, e a lua ficou da cor de sangue. 13Então parecia que as estrelas do céu estavam caindo sobre a terra como figos verdes das figueiras sacudidas por ventos fortes. 14E o céu estrelado desapareceu, como se tivesse sido enrolado à maneira de um rolo de pergaminho e tirado dali; e cada montanha e cada ilha foram removidas de seus lugares. 15Os reis da terra e os príncipes do mundo, os oficiais militares, os ricos, os poderosos — todos os homens grandes e pequenos, escravos e livres, escondiam-se nas cavernas e nas rochas das montanhas, 16e gritavam às montanhas e às rochas, suplicando: “Caiam em cima de nós e escondam-nos do rosto daquele que está assentado no trono e da ira do Cordeiro, 17porque o grande dia da ira do Cordeiro chegou, e quem pode sobreviver a ele?”