Parallel

Apocalipse 21

21
1Então vi uma nova terra e um novo céu, porque a primeira terra e o primeiro céu haviam desaparecido; e o mar já não existia mais. 2Eu, João, vi a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo de Deus e vindo do céu. Era uma vista gloriosa, linda como uma noiva que vai se encontrar com o seu noivo.
3Eu ouvi um alto brado que vinha do trono, dizendo: “Atenção, a morada de Deus agora está entre os homens, e ele morará com eles e eles serão o seu povo; sim, o próprio Deus estará entre eles e será o seu Deus. 4Ele enxugará todas as lágrimas dos olhos deles, e não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor. As coisas antigas já passaram”.
5E aquele que estava sentado no trono, disse: “Veja, eu estou fazendo novas todas as coisas!” E então ele me disse: “Ponha isto por escrito, porque o que eu lhe digo é verdadeiro e digno de confiança”. 6E continuou: “Está terminado! Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem tiver sede, eu darei de graça as fontes da água da vida! 7Aquele que vencer herdará todas estas bênçãos, eu serei o seu Deus e ele será meu filho. 8Mas os covardes, aqueles que são infiéis a mim, os corruptos, os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, aqueles que praticam feitiçaria, os adoradores de ídolos e todos os mentirosos — o destino deles é o lago de fogo que arde como enxofre. Esta é a segunda morte”.
9Então um dos sete anjos que haviam derramado os vasos que continham as sete últimas pragas veio e me disse: “Venha comigo, que eu lhe mostrarei a noiva, a esposa do Cordeiro”.
10Numa visão ele me levou em espírito#21.10 Ou “no Espírito”. ao pico muito alto de uma montanha e de lá eu contemplei aquela magnífica cidade, a santa Jerusalém, descendo dos ares, vinda de Deus. 11Estava cheia da glória de Deus, e cintilava e fulgurava como uma pedra preciosa, de cristal puro como o jaspe. 12Os muros dela eram grandes e altos, com doze portões guardados por doze anjos. E nos portões estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel. 13Havia três portões de cada lado — norte, sul, leste e oeste. 14Os muros tinham doze pedras nos alicerces, e nelas estavam escritos os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. 15O anjo segurava na mão uma vara de medir feita de ouro, para medir a cidade, os seus portões e os seus muros. 16Quando ele a mediu, descobriu que era quadrada, com a mesma largura que o comprimento. Ele mediu a cidade com a vara; tinha 2.200 quilômetros#21.16 Em grego: “12.000 estádios”. Um estádio equivalia a 185 metros. de comprimento; a largura e a altura eram iguais ao comprimento. 17Então ele mediu os muros e viu que tinham 64 metros de espessura,#21.17 Ou “de altura”. segundo a medida padrão usada pelo anjo.
18A cidade era de ouro puro, transparente como vidro! O muro era feito de jaspe, 19e foi construído sobre 12 camadas de pedras de alicerce ornamentadas de pedras preciosas:
A primeira camada era de jaspe;
A segunda de safira;
A terceira de calcedônia;
A quarta de esmeralda;
20A quinta de sardônio;
A sexta camada era de sárdio;
A sétima de crisólito;
A oitava de berilo;
A nona de topázio;
A décima de crisópraso;
A décima primeira de jacinto;
A décima segunda de ametista.#21.20 A identificação exata de algumas destas pedras não é conhecida.
21Os doze portões eram feitos de pérolas — cada portão de uma única pérola! E a rua principal era de ouro puro, como vidro transparente.
22Não se podia ver nenhum templo na cidade, porque o Senhor Deus Todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo. 23E a cidade não tem necessidade de sol nem de lua para iluminá-la, porque a glória de Deus a ilumina e o Cordeiro é a sua candeia. 24A luz dela iluminará as nações da terra, e os governantes do mundo virão trazer-lhe a sua glória. 25Os portões dela nunca se fecharão, pois ali não haverá noite! 26E a glória e a honra de todas as nações serão trazidas para ela. 27Nenhum mal será permitido nela — ninguém que seja imoral ou enganador — mas somente aqueles cujos nomes estão escritos no Livro da Vida do Cordeiro.