Parallel

Apocalipse 14

14
1Então eu vi o Cordeiro em pé no monte Sião, e com ele estavam 144.000 que tinham o nome dele e o nome do seu Pai escritos nas suas testas. 2E ouvi um som que vinha do céu como o rugir de uma grande cachoeira e o estrondo de um poderoso trovão; era como o som de um coro acompanhado por harpas.
3Este som era um maravilhoso cântico novo entoado diante do trono de Deus, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender este cântico, a não ser estes 144.000 que haviam sido comprados#14.3 Ou “redimidos”. da terra. 4Porquanto eles se conservaram puros por não terem tido relações com mulheres, e seguem o Cordeiro por todo lugar aonde ele vai. Foram comprados dentre os homens da terra como uma oferta consagrada a Deus e ao Cordeiro. 5E não podem ser acusados de nenhuma mentira; são irrepreensíveis.
6Então vi outro anjo voando pelos céus, levando o evangelho eterno para anunciar àqueles que estão na terra — a toda nação, tribo, língua e povo.
7“Temam a Deus”, disse ele em alta voz, “e louvem a grandeza dele, porque chegou o tempo em que ele vai julgar a humanidade. Adorem aquele que fez os céus e a terra, o mar e todas as fontes das águas”.
8Então um segundo anjo o seguiu pelos céus, dizendo: “Caiu! Caiu a Babilônia, a grande cidade, porque ela seduziu as nações do mundo e as fez participar do vinho da sua terrível imoralidade”.
9E um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: “Todo aquele que adorar a besta#14.9 Aquela que saiu do mar. e a estátua dela, e receber o seu sinal na testa ou na mão, 10deve beber do vinho do furor de Deus; este é derramado sem mistura na taça da ira de Deus. E serão atormentados com fogo e enxofre incandescente, na presença dos santos anjos do Cordeiro. 11A fumaça do tormento deles sobe para todo o sempre, e eles não terão alívio de dia nem de noite, porque adoraram a besta e a sua estátua, e foram marcados com o sinal do nome dela”. 12Que isso anime o povo de Deus a suportar com perseverança cada provação e perseguição, porque os santos dele são os que até o fim permanecem firmes na obediência às suas ordens e permanecem fiéis a Jesus.
13E ouvi uma voz nos céus, dizendo: “Ponha isto por escrito: Finalmente chegou o tempo dos seus mártires entrarem na plena recompensa deles. Sim, diz o Espírito, eles são verdadeiramente felizes,#14.13 Ou “benditos”. pois agora descansarão de todas as suas fadigas e provações; porque as suas boas obras os acompanharão!” 14Então o cenário mudou e vi uma nuvem branca; e assentado nela estava alguém que se parecia com um filho do homem, com uma coroa de ouro maciço na cabeça e uma foice afiada na mão.
15Nisso um outro anjo veio do templo#14.15 Ou “santuário”. e bradou em alta voz para aquele que estava sentado na nuvem: “Comece a usar a foice, porque chegou o tempo de ceifar, pois a colheita está madura na terra”. 16Portanto, aquele que estava sentado na nuvem passou a foice pela terra, e fez a colheita. 17Depois outro anjo saiu do templo dos céus e este também tinha uma foice afiada.
18Nesse exato momento um outro anjo que tem poder sobre o fogo saiu do altar e bradou em alta voz ao anjo com a foice afiada: “Utilize agora a sua foice afiada para cortar os cachos de uvas da vinha da terra, porque as suas uvas estão maduras!” 19Assim foi que o anjo passou a foice pela terra e encheu de uvas o grande lagar da ira de Deus. 20E as uvas foram esmagadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar numa torrente de cerca de 300 quilômetros de comprimento,#14.20 Em grego: “1.600 estádios”. Um estádio equivalia a 185 metros. e chegava até as rédeas dos cavalos.