Exit Parallel Mode
 

Apocalipse 16

16
1Então ouvi uma poderosa voz que vinha do templo dizer aos sete anjos: “Vão e derramem sobre a terra as sete taças da fúria de Deus”.
2O primeiro anjo saiu do templo e derramou sua taça sobre a terra, e se abriram feridas horríveis e malignas naqueles que tinham a marca da besta e adoravam sua estátua.
3O segundo anjo derramou sua taça sobre o mar, que se transformou em sangue como de um cadáver, e morreram todas as criaturas do mar.
4O terceiro anjo derramou sua taça sobre os rios e as fontes, que se transformaram em sangue. 5E ouvi o anjo que tinha autoridade sobre a água dizer:
“Tu és justo, ó Santo, que és e que eras,
pois enviaste estes julgamentos.
6Porque eles derramaram o sangue
de teu povo santo e de teus profetas,
tu lhes deste sangue para beber;
é sua justa retribuição”.
7E ouvi uma voz que vinha do altar#16.7 Em grego, E ouvi o altar. dizer:
“Sim, Senhor Deus, o Todo-poderoso,
teus julgamentos são verdadeiros e justos”.
8O quarto anjo derramou sua taça sobre o sol, que com seu fogo fez queimar as pessoas. 9Todos foram queimados pelo intenso calor e blasfemaram contra o nome de Deus, que tinha controle sobre essas pragas. E não se arrependeram nem deram glória a Deus.
10O quinto anjo derramou sua taça sobre o trono da besta, e seu reino foi lançado na escuridão. Angustiados, seus súditos rangiam os dentes#16.10 Em grego, roíam a língua. 11e, por causa de suas dores e feridas, blasfemavam contra o Deus do céu. E não se arrependeram de seus atos perversos.
12O sexto anjo derramou sua taça sobre o grande rio Eufrates, e ele secou, abrindo caminho para os reis que vêm do Oriente. 13Então vi saltarem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos impuros semelhantes a sapos. 14São espíritos demoníacos que realizam sinais e vão aos governantes da terra a fim de reuni-los para a batalha contra o Senhor, no grande dia de Deus, o Todo-poderoso.
15“Eu virei inesperadamente, como ladrão! Feliz é aquele que me espera alerta e mantém puras suas vestes, para que não precise andar nu e envergonhado.”
16E os espíritos reuniram todos os governantes e seus exércitos no lugar que, em hebraico, se chama Armagedom.
17O sétimo anjo derramou sua taça no ar, e do trono do templo veio um forte grito: “Está terminado!”. 18Então houve relâmpagos, estrondos e trovões, e um forte terremoto, o mais violento desde a criação da humanidade. 19A grande cidade, Babilônia, se dividiu em três partes, e as cidades de muitas nações tombaram. Deus se lembrou de todos os pecados da Babilônia e a fez beber do cálice cheio do vinho de sua furiosa ira. 20Todas as ilhas desapareceram, e todos os montes foram arrasados. 21Houve uma forte tempestade de granizo, com pedras que pesavam até 35 quilos#16.21 Em grego, 1 talento. caindo do céu sobre as pessoas. E elas blasfemaram contra Deus por causa da terrível praga de granizo.

Apocalipse 16

16
1E ouvi uma poderosa voz bradando do templo aos sete anjos: “Agora sigam o seu caminho e esvaziem sobre a terra as sete taças da ira de Deus”.
2Assim foi que o primeiro anjo saiu do templo e derramou a taça dele sobre a terra; e abriram-se feridas horríveis e malignas em todo aquele que tinha o sinal da besta e estava adorando a sua estátua.
3O segundo anjo derramou sua taça sobre o mar; e ele se transformou em sangue como de um morto, e morreu toda criatura que vivia no mar.
4O terceiro anjo derramou a taça dele sobre os rios e as fontes; e eles se transformaram em sangue. 5E eu ouvi este anjo das águas afirmando: “O Senhor é justo ao enviar este julgamento, ó Santo, que é e que era, 6pois os seus santos e profetas foram mortos como mártires e o sangue deles foi derramado sobre a terra; e agora, em troca, o Senhor deu o sangue para eles beberem. Eles estão recebendo o que merecem”.
7E ouvi uma voz que vinha do altar. A voz dizia: “Sim, Senhor Deus Todo-poderoso, os seus juízos são justos e verdadeiros”.
8Então o quarto anjo derramou a taça dele sobre o sol; e fez o sol queimar as pessoas com fogo. 9Elas foram queimadas por esse sopro de calor, e amaldiçoaram o nome de Deus que enviou as pragas; no entanto, elas não mudaram sua mente nem sua atitude#16.9 Ou “elas recusaram a arrepender-se”. para dar glória a ele.
10Então o quinto anjo derramou a taça dele sobre o trono da besta;#16.10 Que saiu do mar. e o reino dela foi mergulhado na escuridão. E os súditos dela mordiam a língua de angústia, 11e blasfemavam o Deus do céu pelas dores e as feridas que sofriam, mas se recusaram a arrepender de todas as suas más obras.
12O sexto anjo derramou a taça dele sobre o grande rio Eufrates; e ele secou, de modo que os reis que vinham do Oriente pudessem marchar com os seus exércitos para o Ocidente sem impedimento. 13Então vi saltarem da boca do dragão, da boca da besta e da boca do seu falso profeta três espíritos imundos semelhantes a sapos. 14Estes são espíritos de demônios operadores de milagres; eles combinaram reunir-se com todos os governantes do mundo para a batalha contra o Senhor naquele grande dia do Deus Todo-poderoso.
15“Tome nota: Eu virei tão inesperadamente como um ladrão! Felizes todos aqueles que estão me esperando, que mantêm os seus mantos de prontidão e não precisam andar nus para não ficarem envergonhados”.
16E eles juntaram todos os exércitos do mundo perto de um lugar chamado em hebraico Armagedom.#16.16 A montanha de Megido.
17O sétimo anjo derramou a taça dele no ar; e do trono do templo veio um poderoso clamor, dizendo: “Está terminado!” 18Então houve relâmpagos, vozes,#16.18 Ou “estrondos”. trovões e um grande terremoto de intensidade sem precedentes na história do mundo.
19A grande cidade#16.19 Isto é, Babilônia. partiu-se em três pedaços, e as cidades ao redor do mundo caíram em montões de ruínas; e assim todos os pecados da grande Babilônia foram lembrados por Deus, e ela foi castigada até a última gota do cálice de vinho do furor da sua ira. 20As ilhas desapareceram e as montanhas sumiram, 21e houve uma incrível tempestade de pedras caídas do céu; pedras de granizo do peso de 35 quilos#16.21 Em grego: 1 talento. caíram do céu em cima das pessoas, e eles blasfemavam contra Deus por causa da terrível chuva de pedras.